Sai Uma Francesinha

Uma francesinha come-se com os amigos. Enquanto se come uma francesinha, fala-se de tudo: cinema, música, gajas, política, paneleirices, coisas sem sentido, anedotas, exposições... É de algumas dessas coisas que aqui se fala, umas mais regionais, outras nem tanto, outras mais culturais, outras ainda mais banais.

quarta-feira, janeiro 11, 2006

Faleceu Helena Sá e Costa

O Porto está, uma vez mais de luto. Outro importante ícone da cidade, com um legado extremamente importante para o mundo da música, desaparece. Aqui fica a hossa homenagem.

Quem era...
Intérprete consagrada nacional e internacionalmente, Helena Sá e Costa formou várias gerações de músicos, entre os quais Pedro Burmester, Adriano Jordão, Fernando Jorge Azevedo, Maria Teresa Macedo, António Pinho Vargas, Fausto Neves e Francisco Monteiro.
Aluna de Vianna da Motta, a pianista sucedeu-lhe como professora no Conservatório Nacional, em Lisboa, fundou a Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo (ESMAE), no Porto, e foi presidente do Conselho Científico da Escola Superior de Música do Instituto Politécnico do Porto, cujo teatro tem o seu nome. “São os meus pupilos que estão à frente do que vai ser a cultura musical do Porto no próximo século”, afirmou, em 1999, ao jornal Público.
Nascida a 26 de Maio de 1913, na Rua das Malmerendas, hoje conhecida por Rua Alves da Veiga, no coração da Invicta, Helena Sá e Costa deu o seu primeiro recital público aos cinco anos e aos 23 estreou-se no estrangeiro, em Paris, interpretando Bach - o seu compositor de eleição - acompanhada por uma orquestra dirigida por Edwin Fisher. Ao lado da irmã, a violoncelista Madalena Sá e Costa, estudou em Postdam, na Alemanha.
Em 1943, a Emissora Nacional distingui-a com Prémio Vianna da Motta, o insigne Mestre que a havia distinguido com 20 valores no culminar do seu curso.
Em 1994, foi homenageada com a criação de um prémio com o seu nome, atribuído pela ESMAE, e viu as suas memórias publicadas em «Uma vida em concerto», pelo Campo das Letras, em 2001, obra que deu origem a «Helena Costa. Tradição e Renovação», de Filipe Pires, editado em 1996 pela Fundação Engenheiro António de Almeida.
Aos 92 anos, Helena Sá e Costa deixa saudade em todos os que a conheceram

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home